QUEM É GUILHERME BOULOS?


Guilherme Boulos é escritor, ativista político, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e candidato à Presidência da República pelo PSOL. Sua atuação é marcada na luta contra as desigualdades, teve papel central na resistência democrática ao golpe de 2016 e junto ao MTST, garantiu habitação para 20 mil famílias.

Aos 20 anos deixou a casa de seus pais para morar e atuar em uma ocupação sem teto na zona metropolitana de São Paulo. Liderança social consolidada, é formado em Filosofia pela USP e ingressa aos 35 anos para a vida política, a partir das eleições de 2018, sendo o postulante à Presidência da República mais novo da história brasileira.

Nesse novo desafio, integra uma ampla aliança, que além do MTST e do PSOL, conta com outros movimentos e organizações como Povos Indígenas do Brasil, Mídia NINJA e Fora do Eixo,PCB, ativistas da frente Povo Sem Medo como sindicalistas, juventudes, coletivos feministas, antirracistas, LGBT e artistas. Com uma proposta inovadora, está construindo um programa a muitas mãos. Com o Vamos!, realizou debates em praça pública, somou contribuições de especialistas e proposições online.

Trajetória


Nascido em 1982, Boulos é natural de São Paulo, filho caçula de dois médicos e professores da Universidade de São Paulo (USP). É liderança popular, filósofo,psicnalista, professor e escritor.

Desde jovem se interessou pelas lutas democráticas e, em 1997, aos 15 anos, ingressou no movimento estudantil, quando militou na União da Juventude Comunista (UJC). Nessa época, pediu aos pais que o transferissem de sua escola, particular, para uma instituição pública. Depois, conheceu o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) — em que permanece militando até hoje.

Aos 18 anos ingressou na USP, onde se formou em Filosofia na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Após isso, Boulos deu aulas na rede pública de ensino do Estado de São Paulo. Em 2016, fez um mestrado em psiquiatria na Faculdade de Medicina da USP. Estudou a relação entre a participação de ativismo em ocupações do MTST e a subjetividade.

Uma frase de Frei Beto define o pré-candidato do PSOL: “Guilherme Boulos é uma das mais jovens e promissoras lideranças de movimentos sociais brasileiros. Dotado de boa formação ética e intelectual, fez uma opção radical, evangélica, pelos mais pobres, concentrando sua atividade no segmento da população sem acesso ao direito de moradia. Modesto, despojado, inteligente, Boulos pôs a sua vida a serviço dos direitos humanos fundamentais”.

Junto aos milhares de integrantes do MTST, Boulos conquistou habitações para mais de 20 mil pessoas. Hoje o movimento está presente em 13 estados do Brasil e já realizou centenas de ocupações.

Desde as jornadas de junho de 2013, Boulos tem se destacado como uma das maiores lideranças políticas brasileiras e esteve na linha de frente da resistência ao golpe parlamentar de 2016 e na campanha pelo Fora Temer e Diretas Já.

Boulos foi um dos fundadores da frente Povo Sem Medo, que se desdobrou no “Vamos! Sem medo de mudar o Brasil”, iniciativa inovadora de construção de programa que realizou centenas de reuniões pelo país e envolveu militantes e lideranças de movimentos sociais, partidos, artistas, intelectuais, religiosos e pessoas comuns na discussão sobre o novo Brasil que queremos.

Sua atuação rendeu os prêmio Santos Dias de Direitos Humanos, concedido pela Câmara Legislativa de São Paulo em 2017, além da Medalha do Mérito Legislativo em 2016. concedida pela Câmara dos Deputados em Brasília.

 
 

QUEM É GUILHERME BOULOS?


Guilherme Boulos é escritor, ativista político, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e candidato à Presidência da República pelo PSOL. Sua atuação é marcada na luta contra as desigualdades, teve papel central na resistência democrática ao golpe de 2016 e junto ao MTST, garantiu habitação para 20 mil famílias.

Aos 20 anos deixou a casa de seus pais para morar e atuar em uma ocupação sem teto na zona metropolitana de São Paulo. Liderança social consolidada, é formado em Filosofia pela USP e ingressa aos 35 anos para a vida política, a partir das eleições de 2018, sendo o postulante à Presidência da República mais novo da história brasileira.

Nesse novo desafio, integra uma ampla aliança, que além do MTST e do PSOL, conta com outros movimentos e organizações como Povos Indígenas do Brasil, Mídia NINJA e Fora do Eixo,PCB, ativistas da frente Povo Sem Medo como sindicalistas, juventudes, coletivos feministas, antirracistas, LGBT e artistas. Com uma proposta inovadora, está construindo um programa a muitas mãos. Com o Vamos!, realizou debates em praça pública, somou contribuições de especialistas e proposições online.

Trajetória


Nascido em 1982, Boulos é natural de São Paulo, filho caçula de dois médicos e professores da Universidade de São Paulo (USP). É liderança popular, filósofo,psicnalista, professor e escritor.

Desde jovem se interessou pelas lutas democráticas e, em 1997, aos 15 anos, ingressou no movimento estudantil, quando militou na União da Juventude Comunista (UJC). Nessa época, pediu aos pais que o transferissem de sua escola, particular, para uma instituição pública. Depois, conheceu o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) — em que permanece militando até hoje.

Aos 18 anos ingressou na USP, onde se formou em Filosofia na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Após isso, Boulos deu aulas na rede pública de ensino do Estado de São Paulo. Em 2016, fez um mestrado em psiquiatria na Faculdade de Medicina da USP. Estudou a relação entre a participação de ativismo em ocupações do MTST e a subjetividade.

Uma frase de Frei Beto define o candidato do PSOL: “Guilherme Boulos é uma das mais jovens e promissoras lideranças de movimentos sociais brasileiros. Dotado de boa formação ética e intelectual, fez uma opção radical, evangélica, pelos mais pobres, concentrando sua atividade no segmento da população sem acesso ao direito de moradia. Modesto, despojado, inteligente, Boulos pôs a sua vida a serviço dos direitos humanos fundamentais”.

Junto aos milhares de integrantes do MTST, Boulos conquistou habitações para mais de 20 mil pessoas. Hoje o movimento está presente em 13 estados do Brasil e já realizou centenas de ocupações.

Desde as jornadas de junho de 2013, Boulos tem se destacado como uma das maiores lideranças políticas brasileiras e esteve na linha de frente da resistência ao golpe parlamentar de 2016 e na campanha pelo Fora Temer e Diretas Já.

Boulos foi um dos fundadores da frente Povo Sem Medo, que se desdobrou no “Vamos! Sem medo de mudar o Brasil”, iniciativa inovadora de construção de programa que realizou centenas de reuniões pelo país e envolveu militantes e lideranças de movimentos sociais, partidos, artistas, intelectuais, religiosos e pessoas comuns na discussão sobre o novo Brasil que queremos.

Sua atuação rendeu os prêmio Santos Dias de Direitos Humanos, concedido pela Câmara Legislativa de São Paulo em 2017, além da Medalha do Mérito Legislativo em 2016. concedida pela Câmara dos Deputados em Brasília.